Lenovo demite mais de mil funcionários

A Lenovo, empresa que comprou a Motorola, demitiu mais de mil funcionários, sendo que a maior parte pertencia à área das telecomunicações móveis.

Hoje a empresa Lenovo emitiu um comunicado onde informa que demitiu mais de mil funcionários, o que representa cerca de 2% dos seus postos de trabalho totais. A maior parte das demissões teve lugar na área mobile, isto é, eram trabalhadores da antiga Motorola, empresa que a Lenovo adquiriu.

A companhia explicou no comunicado que as demissões foram necessárias para salvaguardar a sua saúde financeira, tratando-se de ajustes no processo de assimilação dos quadros da Motorola na Lenovo após a compra da empresa de telecomunicações móveis. Antes deste milhar de funcionários, já outros 500 tinham sido demitidos nos últimos dois anos.

Um rumor recente afirmava que a Lenovo queria igualmente encerrar a filial em Chicago, responsável máxima pela antiga Motorola nos Estados Unidos, mas no comunicado de hoje a empresa disse que “estamos absolutamente comprometidos com Chicago e planeamos manter a nossa sede da Motorola Mobility na cidade. Chicago tem uma boa reputação pela sua excelência técnica e por ser um centro global de pesquisa e desenvolvimento para o nosso negócio de smartphones. Esperamos continuar a aproveitar o talento local para criar produtos da marca Moto por lá”. Essas afirmações da Lenovo desmentem por completo o rumor que chegou a assustar os funcionários da empresa que trabalham nessa cidade norte-americana.

Quanto às demissões, ainda não se sabe se vão parar por completo, mas dado que o processo de integração da antiga Motorola parece não estar ainda concluído, é provável que mais funcionários sejam demitidos no futuro. O objetivo máximo da Lenovo é garantir a estabilidade financeira da empresa, pelo que estes cortes no pessoal são necessários.

Imagem: South China Morning Post


Também poderão gostar


Comentar