Pesquisa revela que os pais não protegem os filhos na Internet

Um novo estudo chegou à conclusão de que os pais não protegem corretamente as crianças no que diz respeito à navegação pela Internet.

A pesquisa foi feita pela Kaspersky e os resultados não são animadores: um em cada cinco adultos não faz nada para proteger os filhos na Internet. As crianças estão expostas a ameaças nas redes sociais, bullying e a conteúdos pornográficos, violentos, racistas e de incitamento ao ódio. Para além destes problemas, o principal é o fácil contacto que os jovens têm na Web com desconhecidos.

Os próprios parentes confirmaram o problema durante as entrevistas. Cerca de 31% acreditam que não têm controlo sobre os filhos na Internet e 61% não conversam com os jovens sobre os cuidados que devem ter na Web. Apenas 28% disseram que confirmam regularmente o histórico de navegação e apenas 24% afirmaram que utilizam sistemas de segurança e controlo. No caso da visualização do histórico, o problema é que por essa altura os dispositivos móveis ou o PC podem já estar infetados, pelo que o acompanhamento deveria ser mais rigoroso.

A empresa responsável pelo estudo concluiu também que as crianças preferem navegar pela Web longe do controlo dos pais, ou seja, fora de casa ou com a porta do quarto fechada. A Kaspersky sugere, na conclusão da pesquisa, que os pais instalem em casa câmeras apontadas aos aparelhos para um maior controlo e também sugere que as conversas entre os progenitores e as crianças sobre o tema da segurança na Internet aumentem.

O facto de atualmente muitos mais jovens acederem à Web, faz com que criminosos e pedófilos estejam igualmente mais ativos neste mundo virtual. Precisamente por causa disso, a segurança e o controlo das crianças também deveria aumentar, mas infelizmente o tema continua a ser pouco discutido e reforçado pela Imprensa.

Imagem: Wind Storm


Também poderão gostar