Samsung ainda não desistiu do Galaxy Note 7

A Samsung está a pensar vencer versões novas do Galaxy Note 7 em mercados como a China, Brasil e Índia.

Apesar das explosões súbitas, a Samsung ainda não desistiu do Galaxy Note 7. A empresa está a estudar a hipótese de vender o smartphone polémico em versões “reformadas”. Como na Europa e Estados Unidos ninguém compra, o projeto é vender o Note 7 mais barato em mercados emergentes.

Foi o site sul-coreano ‘The Investor’ quem avançou com esta notícia. A Samsung quer vender o smartphone “explosivo” em países onde os consumidores são menos exigentes e mais dispostos a arriscar. Obviamente, a empresa pretende tentar colocar o smartphone direitinho antes de o disponibilizar em países como o Brasil, Índia e China. Fora de questão estão as prateleiras das lojas de nações como o Japão, França ou Estados Unidos.

No entanto, ainda existem muitos passos a seguir antes de a operação ter início. A empresa sul-coreano necessita de trabalhar na questão da resolução das explosões, porque apesar dos mercados serem emergentes existem neles órgãos reguladores que não querem ver dispositivos móveis (ou não móveis) a explodir sem mais nem menos. A Samsung também precisa de avaliar se o lucro valerá o esforço de voltar a organizar todo o transporte dos aparelhos Galaxy Note 7 que estão parados.

O que é certo é que os Note 7 reformados só serão vendidos nesses países emergentes. Na Europa e nos Estados Unidos a imagem pública desse smartphone foi completamente arrasada, especialmente nas redes sociais. Ninguém compraria esse aparelho sem uma garantia absoluta de que o problema das explosões foi completamente resolvido, e isso está longe de acontecer.

Imagem: CNET


Também poderão gostar