Estudo da Intel conclui que menos de 50% dos consumidores protege os seus dispositivos

A segurança não é o ponto forte dos consumidores de dispositivos móveis. Um novo estudo da Intel mostra que menos de metade dos utilizadores protege os seus gadgets.

A Intel realizou um estudo que demonstra que não existe preocupação com a segurança dos dispositivos móveis por parte dos seus donos. Apenas 45% dos consumidores adotaram recentemente medidas de segurança para proteger os seus gadgets contra malware, o que significa que a maioria deles estão vulneráveis.

No estudo, cerca de 46% dos entrevistados pelos investigadores da Intel disseram que estão conscientes que deveriam adotar medidas de segurança, mas acrescentaram que não fazem ideia de como o fazer. O facto de tantos dispositivos móveis estarem vulneráveis, faz com que os ataques de hackers e outros cibercriminosos tenham aumentado nos últimos anos.

Segundo a Intel, neste Natal de 2016 espera-se que as vendas de aparelhos móveis aumentem, sendo que todos eles correm o risco de ser hackeados. Os mais vendidos serão:

– Notebooks e PCs
– Smartphones e tablets
– Dispositivos de streaming e reprodutores de media
– Dispositivos de automação doméstica
– Drones

As recomendações da Intel são para que os consumidores protejam imediatamente os dispositivos móveis que já possuem e que esse seja também o primeiro passo para os novos gadgets que comprarão neste Natal. A Internet das Coisas permite agora ataques a outros tipos de itens tecnológicos, como brinquedos e produtos para realidade virtual, pelo que é necessário ter cuidado com esses produtos também.

Imagem: Prime IT Service


Também poderão gostar