Funcionário da Foxconn rouba 5 mil iPhones e sai em liberdade

Um funcionário da Foxconn, conhecido como Tsai, roubou 5,7 mil iPhones da fábrica que geria na China.

Os iPhones não são baratos, e para muitos são difíceis de obter, mas não para Tsai, um funcionário da Foxconn que gere uma fábrica na província chinesa de Shenzhen. Em vez de estar atento aos seus subordinados e a manter o bom funcionamento da fábrica, o homem dedicava-se a roubar iPhones. Não havia falta deles na instalação onde Tsai passava os seus dias, pois a fábrica produzia essencialmente gadgets, especialmente o popular aparelho da Apple.

O gerente especialista em roubar iPhones é taiwanês e, segundo o órgão noticioso Asia One, pagou a fiança e saiu novamente para as ruas após ter sido descoberto. Mas ainda terá de enfrentar a Justiça chinesa, correndo o risco de passar 10 anos na prisão pelo crime de quebra de confiança.

Tsai contava com a ajuda de outros oito funcionários da Foxconn que trabalhavam na mesma fábrica. O grupo pegava em iPhones 5 e 5s, que serviam para testes, e vendiam-nos no mercado negro. Ao todo, conseguiram despachar 5,7 mil dispositivos.

O negócio foi lucrativo. Tsai e os seus parceiros no crime ganharam cerca de 1,5 milhões de dólares, entre os anos de 2013 e 2014. Foram apanhados apenas por causa de uma auditoria interna realizada pela Foxconn.

Dado que os iPhones serviam apenas para testes e seriam descartados mais tarde, sendo, portanto, de valor mínimo para a Apple e para a Foxconn, é provável que o advogado de defesa de Tsai tente baixar a pena dos 10 anos para um período mais curto.

Imagem: South China Morning Post


Também poderão gostar