CEO da Microsoft diz que a inteligência artificial não deve substituir os trabalhadores

O cientista Stephen Hawking acredita que a inteligência artificial irá substituir os trabalhadores, mas o CEO da Microsoft, Satya Nadella, não tem uma visão tão pessimista sobre este tema que apresenta dificuldades éticas.

Satya Nadella, CEO da Microsoft, deu a sua opinião sobre o emprego da inteligência artificial nas fábricas no futuro, durante a conferência DLD em Munique, mais especificamente sobre como as empresas devem enfrentar este problema ético e também económico. Segundo Nadella, as técnicas e os sistemas de inteligência artificial devem ajudar as empresas a garantir melhores resultados, mas que não devem substituir os trabalhadores.

Nadella disse que “o desejo fundamental de cada pessoa é poder utilizar o seu tempo da maneira mais efetiva possível e não dizer ‘vamos substitui-lo’. Este ano e o próximo vão ser essenciais para democratizar a inteligência artificial. Para mim, a coisa mais entusiasmante não é somente a promessa da inteligência artificial exibida nos nossos produtos, mas a capacidade de pegar nesse potencial e colocá-lo nas mãos de todos os desenvolvedores e de todas as organizações”. Com estas declarações, o CEO da empresa fundada por Bill Gates pretende certamente indicar que a Microsoft continuará a preferir os trabalhadores humanos às máquinas operadas pela inteligência artificial nas múltiplas áreas onde a empresa age e cria produtos.

O CEO da velhinha Microsoft também alertou outros executivos, da empresa que lidera e de outras, para não se deixarem seduzir pelos “truques” do poder da tecnologia da inteligência artificial, que no final de contas não preservam a dignidade e a segurança financeira dos trabalhadores. Nadella, que no seu caso tem investido muito em tecnologias baseadas na nuvem para os produtos e serviços da Microsoft, continua a ter o foco no lucro, mas os meios não justificam os fins, e pelo caminho os postos de trabalho dos seus funcionários têm que ser preservados. É isso que pretende e deseja Satya Nadella.

Imagem: TheTechy


Também poderão gostar