LinkedIn avalia possibilidade de avançar com serviço de streaming

O mercado de serviços streaming têm registado um grande crescimento nos últimos anos com gigantes como a Netflix e o Youtube, e a entrada de novos players dentro deste mercado como Apple e Spotify.

Contudo um nome inesperado veio demonstrar interesse em participar no setor: o LinkedIn.

Esta rede social virada para o mercado de trabalho, adquirida pela Microsoft o ano passado, não descarta entrar no mercado de conteúdo original. Quem o assume é o CEO da empresa, Jeff Weiner “Certamente nós estamos abertos à ideia de conteúdo original, e em algum ponto seria muito interessante explorar isso com várias distribuidoras” afirmou o executivo.

Avançou também, a título de exemplo que o reality show “Shark Tank” que gira em torno de startups e de empreendedorismo, poderia estar presente nos seus conteúdos.

Weiner também mencionou que o LinkedIn tem ideia em convidar ligas desportivas de renome como a NFL ou a NBA, para expor conteúdo dentro da rede social.

Contudo, convém recordar que esse tipo de direito de transmissão não sai barato: a Amazon recentemente pagou US$ 50 milhões para fazer o streaming de apenas dez partidas da NFL desta temporada.

De momento, não existe qualquer previsão sobre se esses esforços em vídeo irão ou não se concretizar, nem sobre se haverá alguma versão paga do LinkedIn para quem quiser ter acesso a esse conteúdo.


Também poderão gostar