Sophia é um robot e tornou-se cidadã na Arábia Saudita

A Arábia Saudita tornou-se no primeiro país do mundo a dar cidadania a um robot. A nova cidadã saudita chama-se Sophia e apareceu em público pela primeira vez, na capital do país, em Riade.
O impacto causado pelo robot ao surgir num evento organizado pelo Fundo Público de Investimento saudita levou a que a Arábia Saudita lhe atribuísse a categoria de cidadã local.

“É histórico ser o primeiro robot do mundo a quem é reconhecida a cidadania”, disse a robot, de acordo com uma mensagem divulgada no Twitter do Centro para a Comunicação Internacional.
Sophia foi criada pela empresa Hanson Robotics, em Hong Kong, dirigiu-se aos presentes na sua primeira aparição pública, dizendo-se muito honrada e orgulhosa por esta distinção única.

Numa entrevista no evento, Andrew Sorkin da CNBC disse a Sophia que “muitos querem prevenir um mau futuro”, ao que a robot respondeu “Tens lido muito Elon Musk. E visto muitos filmes de Hollywood. Não te preocupes, se fores bom para mim, eu serei boa para ti”, numa provocação ao visionário, que representa uma fação com uma opinião mais “cuidadosa” sobre o desenvolvimento da Inteligência Artificial.

Após término do discursos, Sophia começou a ser muito criticada nas redes sociais por não estar a utilizar o habitual lenço e o manto tradicional que costumam vestir as mulheres sauditas, gerando uma grande onda de contestação por alegada diferença de tratamento.

A Arábia Saudita, mostra ter planos para ter mais cidadãos-robot, pois, na terça-feira, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, anunciou a construção de uma nova cidade na região norte do país, onde se espera que vá albergar mais robots do que humanos. A cidade terá o nome de Neom e constituirá uma zona económica especial, livre da estrutura governamental saudita, exceto no que respeita à soberania.

 


Também poderão gostar