Web Summit: Uber propõe solução para os problemas de trânsito

Depois dos túneis subterrâneos de Elon Musk, surge mais uma proposta para fugir ao trânsito, desta vez por parte da Uber.
Chama-se UberAIR e, de acordo com a empresa que o criou, é um serviço que vai mudar a forma como nos deslocamos nas cidades. O lançamento está previsto para 2020, em Los Angeles.

O diretor de produção da Uber, Jeff Holden, subiu ao palco central do Web Summit, na Altice Arena, e apresentou aquilo que acredita ser o próximo nível do transporte urbano: um veículo com capacidade para levantar voo e aterrar verticalmente, movido a energia elétrica e que apenas produz 25% do ruído de um helicóptero.

Tendo em conta que, segundo estimativas da ONU, atualmente metade da população mundial vive em cidades e que em 2045 esse número subirá para perto de 66%, a Uber considera que não é possível esperar mais tempo para se encontrar e colocar em marcha um novo paradigma de mobilidade urbana.

O novo veículo proposto, a que a Uber chama VTOL, para Vertical Take-Off and Landing, assemelha-se muito a um helicóptero, com a diferença de, em vez de uma hélice no topo e outra na cauda, é movido por um par de asas planas e perpendiculares ao corpo da aeronave e que são capazes de se mover num ângulo de 90 graus, permitindo aterrar e levantar voo na vertical.

Segundo o diretor de produção da Uber, este projeto irá funcionar da mesma forma que o UberPool: será um meio de transporte partilhado. Segundo o vídeo divulgado durante a intervenção do gestor, o VTOL tem uma capacidade de transporte até quatro passageiros.

A empresa norte-americana prevê que o VTOL seja pilotado por um humano, numa primeira fase, mas esperam que este veículo se torne autónomo com o passar do tempo. Quanto a preços, a intenção é fazer com que viajar de UberAIR seja mais barato do que viajar no próprio carro. Isto porque o VTOL, diz a empresa, terá uma maior autonomia, exigirá menos manutenção e os custos da viagem poderão ser partilhados entre passageiros.

Estima-se que o serviço, que deverá arrancar em 2020 em Los Angeles, seja lançado com o mesmo “preçário” do UberX, ou seja, entre 8 a 12 euros por 10 quilómetros. Além disso, por se mover a energia elétrica, este transporte não emite gases nocivos para o ambiente.

Para materializar este novo conceito de transporte urbano, a Uber reuniu à sua volta várias empresas do setor automobilístico e mecânico que a vão ajudar a concretizar as previsões de veículos voadores.

De entre vários parceiros, Holden atribuiu destaque à NASA que afirmou ser “um parceiro que precisamos para tornar a UberAIR uma realidade”.

 


Também poderão gostar